Total Pageviews

Saturday, August 21, 2010

Mark Hollis


Por onde andará Mark Hollis? Esta é a pergunta que faz seus vários fãs. Eu incluso. Você acha que não conhece? Aposto que, se você tiver mais de 30, conhece esta aqui . Mas esta canção é apenas um lado da grande (mas não tão reconhecida como tal por aqui) Talk Talk. Quando se fala nesta banda, a imagem que nos vem à cabeça, é aquela de bandas de sintetizadores pop dos anos 80. Eles foram também isto, embora com uma qualidade e inteligência bem mais aguda do que a maioria de seus pares. O hit It´s my Life é uma prova de como uma banda pode fazer um hit e manter sua dignidade. Reconheceram? Não? Não importa, vamos adiante.
Depois deste hit, estourado na Europa em 86, a banda solta o divisor de estações (não precisam perdoar o trocadilho...por que todo mundo pede perdão por um trocadilho? Que saco!) The Colour of Spring. Com participação especialíssima do soberbo Steve Winwood (ex-Traffic) pilotando o órgão em quase todas as canções, além do multi-instrumentista Tin Friese-Greene, escudando Mark hollis na composição e produção, o álbum estourou outro hit, I Don´t Believe in You, onde percebemos agora um paulatino distanciamento da preponderância dos sintetizadores, trocados, mas não completamente, por instrumentos “de verdade” (isso NÃO é juízo de valor, pessoas!). Nesta música, e no disco como um todo, as influências declaradas de Mark Hollis tornam-se mais evidentes : Can, Jazz vanguardista, experimentalismo com texturas e extruturas musicais, um certo minimalismo, em suma, tudo aquilo que, bem mais tarde, seria rotulado de pós-rock.
Mas aí...
Acontece que a gravadora dos caras, empolgada com sua escalada nos charts, resolve dar carta branca para Sr. Hollis e seus asseclas. Os dois discos seguintes, Spirit of Eden (88)e Laughing Stock (91) atingem o ápice do experimentalismo da banda. Mark Hollis, o gênio da máquina, e Tim-Friese-Greene, seu braço direito e esquerdo destroem clichês e torcem mentes em dois discaços, desses pra se ouvir de mente aberta, de preferência à luz de velas, em completo silêncio e atenção. Não dá pra você entendê-los fazendo a barba ou retocando a maquiagem (ou os dois). I Believe in You é uma grande canção deste disco. Ambiência, texturas, silêncios, melodias frágeis, refrões esparsos...nada de convencionalismos. O problema é que a EMI se assustou com os rapazes (mas qual é o problema destes caras?!!) e passou a cobrar uma maior “responsabilidade” comercial. Aconteceu algo parecido, nos anos 90, com uma banda que percorreu caminhos semelhantes. O Wilco. Lembram de Yankee Hotel Foxtrot? Pois então. Na raiz dos "problemas" das duas bandas, podemos encontrar origens iguais, o kraut rock do Can, principalmente e a total liberdade estética provocada por um anterior sucesso comercial (no caso do Wilco, o disco Summerteeth, grande sucesso). Óbvio, a solução foi idêntica. Assim como o Talk Talk abandona o barco da EMI pra se juntar à Polydor, o Wilco se manda da Warner para a Nonsuch por conta própria e risco. E pela Polydor, o Talk Talk lança o disco mais experimental, o Laughing Stock. Aqui, um bom exemplar deste cd.
Mark Hollis é um daqueles de rara estirpe, que nunca se deixou intimidar por pressões do mercado. Soube, na verdade, se aproveitar dele, de forma inteligente e criativa, visto que os dois primeiros discos do Talk Talk são também muito bons, só que numa praia mais comercial. Synth pop de primeiríssima grandeza. A banda acabou, por razões nunca bem explicadas, depois do Laughing e, apenas sete anos depois, ele lança o seu único disco solo, por sinal, brilhante também, na mesma praia sonora da trilogia abençoada do TT. Depois disso, o homem sumiu do mapa musical. Nada de shows, apenas participações esporádicas com outros artistas, e só. Uma pena. Bandas como o já citado Wilco, na sua fase mais experimental e Radiohead devem muito à coragem e criatividade deste que é um ídolo pessoal. Por onde andará mr. Mark Hollis?

Sergio cebola Martinez

21 comments:

cebola said...

Pesquisando aqui, encontrei mais uns dois posts sobre esses caras, aqui mesmo no meu blog. Problema não. Esse é mais completo. E eu acho que a banda merece até mais.

Especulóide said...

Talk Talk era um dos grupos que eu gostava (e ainda gosto). Sua postagem foi razoável (ra, ra, ra).

-_-

cebola said...

Valeu, cara. Vou melhorando, espero. ra ra ra 2.

Especulóide said...

Você sabe que sou eu ?

Anonymous said...

Fala "elemento causador de lágrimas"
Qualé?
Essa galerinha até que tirava um somzinho legal dos seus "estrumes",
mas vc tá de piada em dizer que o melhor cd de todos os tempos é dos Stones...
Menos, companheiro, menos...
Jagger e Cia são meramente razoáveis, fala sério!

Vaca said...

Quem sabe quem é quem?

cebola said...

VELA seu fideumaégua!!!
acertei??

cebola said...

Aposto que esse elemento nocivo aí nos coments é um desinfeliz amigo meu da época do colégio!! A galera que me conhece (e visita este blog) já conhece sua fama, Vela maledito!!

cebola said...

E sobre o Abençoado/amaldiçoado Rolling Stones. Vaca, sua vaca, "meramente razoável" é seu futebol, seu verme!

Especulóide said...

Acertou, sou eu mesmo - meu pulso ainda pulsa - he, he, he.

Franchico said...

Vê se se anima e mantém o blog no ar, Ceboléuris!

Não precisa falar só de música. Fale do que quiser: de filmes, das partidas de futebol americano que vc gosta de assistir (nunca vou entender isso - ou seja, mais um motivo p/ vc escrever. Tomei nojo até de futebol brasileiro, que dirá o dos ianques), do Bar de Gílson, da Bonocô Avenue, dos shows que viu, os que verá... enfim, a pauta é infinita e o único limite é seu saco.

Write it down, man! Abç!

marciorocks said...

Zorra! Tá uma lindeza que só! Adorei o novo lay-out(eu sei eu sei, antes era o fotolog...).
Sugestion: Desce um pouco o cabeçalho que não dá pra ler direito no fundo brilhante da cebola (essa frase é genial demais pra não ser lida direito).

marciorocks said...

VELA, seu desencarnado!!! "Eu ainda estou vivo seus desgraçados!" lhe diz alguma coisa?
Quando virá aqui apavorar almas incautas, oh ENTIDADE MALÍGNA?!?

marciorocks said...

E VACA?!? Agora foi que deu...

marciorocks said...

Talk Talk é a exata definição do "Pop perfeito".
Intricados, mas audíveis, é a trilha sonora perfeita para se estar na praia num dia nublado...

Especulóide said...

Quando for por aí estarei usando minha capa preta e minha foice, portanto é melhor que não vá tão cedo....

cebola said...

Esse é o nosso inigualável e inoxidável VELA!!

Especulóide said...

Inoxidável foi ótima.

On The Rocks said...

concordo com chico. voce deve escrever sempre. acho.

citei voce no on the rocks.

abs,

buenas!

ps. talk talk, massa!

Anonymous said...

deixa de preguiça e atualiza o blog rapá

Anonymous said...

Melhor0 Banda da europa nos anos 80,mark hollis é um maestro!!11